terça-feira, 3 de agosto de 2010

Contos de Altamir #2

Ano 38 da era Kamael - Fortaleza Dourada de Agni
O menino que causou aquela cicatriz em seu rosto transpassando seu elmo apenas com as mãos se tornou um homem, seu olhar calmo após aquela explosão poderosa o inquietava, Kalil lembra bem daquele semblante afoito de antigamente. Fuuno, o garoto que queria vingar a morte de sua mãe estava ali novamente.
Apollyon ergueu a cabeça voltando seus olhos a Kalil. Aqueles olhos vermelhos. Foi a primeira vez que ele os vira, mas lhe pareciam conhecidos, como um déjà vu. Ao olhar novamente a porta, onde se encontrava Fuuno, Kalil notou outra presença, era uma garota. Esta, num primeiro momento se assemelhava a sua própria filha.
Kalil não imaginava como e porque Apollyon estava ao lado de Fuuno, afinal, eles eram rivais em tudo, além disso, reivindicavam para si o mesmo território.
Como não havia sinal de explosões, Apollyon veio só, sem seu exercito incendiário.
Tudo era uma grande interrogação aos olhos do Imperador. Nenhum deles esboçava uma palavra, o objetivo deles era óbvio, não havia mais o que dizer.

Segundo ano da era Kamael - Cidade de Agni
Há um mês atrás anunciaram, os Conselheiros anciãos iriam se pronunciar na frente do castelo de Kamael, na cidade de Agni, onde ele viveu seus últimos anos.
Durante dois anos a população pouco comentou sobre a morte de Kamael, o pesar ao falar sobre esse assunto era muito claro, ele era realmente querido pelo povo. No entanto, durante o ultimo mês esse era o assunto mais falado, em todas as tavernas, feiras, e praças. Tanto na cidade de Agni quanto nos vilarejos ao redor, e até na cidade de Varuna (a outra grande cidade da ilha central no território de Altamir, onde Kamael nasceu, foi coroado e viveu muitos anos).
No meio da tarde uma multidão se formou em frente ao castelo, todos queriam conhecer o novo rei. Ali havia pessoas vindas de toda Altamir. Os pacíficos moradores de Vayu, na ilha do norte estavam em menor número, os incansáveis trabalhadores de Sundra, a cidade principal da ilha sul se faziam presentes também, e um pouco mais numerosos que estes os moradores de Varuna a cidade ao leste da ilha central.
Então, enquanto o povo esperava pacificamente, as portas do castelo foram abertas. Os que estavam sentados se levantavam, as crianças subiam aos ombros de seus pais, os jovens subiam em arvores ou nas muretas, todos com a mesma intenção, de ouvir o pronunciamento dos Conselheiros.
Ao clarear daquela porta selada por dois anos saiu, não sete, mas apenas um Ancião, o que entre eles era considerado mais sábio. Poucos e lentos foram os passos que ele deu até antes do início da escadaria do castelo, onde o próprio Kamael costumava se pronunciar em público. Ainda de cabeça baixa parou. O silencio foi absoluto.
- Em nome de Kamael, e em nome de todos os Conselheiros eu venho perante o povo de Altamir - disse ele erguendo sua cabeça fitando toda aquela multidão - Estou certo que todos aqui vieram esperando a nomeação de um novo rei, porém, infelizmente não é isso que acontecerá nessa tarde.
Ao dizer essas palavras o povo inquietou-se, quebrando aquele silencio anterior. Foi quando saíram da porta os outros seis sábios. Andando em duplas eles foram até atrás do que já falava:
- Hoje é um dia de mudança. Disse o primeiro. Durante o primeiro ano cogitamos quem deveria substituir Kamael, porém, não havia ninguém com méritos para tal, Então após muito pensar resolvemos dividir nosso país.
As inquietações só aumentavam.
- Como vêem. E virou-se para mostrar os que estavam atrás de si. E certamente já estão supondo, cada ilha a partir de agora será governada individualmente, e caberá aos sábios conselheiros, indicar aquele mais adequado ao trono. Após uma pequena pausa ele prosseguiu:
- Cada rei deverá ser coroado em Agni, e deveram ter a aprovação de todos os sábios. Com isso, irão dois Conselheiros ao norte, dois ao sul e três de nós ficarão aqui.
Certamente os respeitados e sábios Conselheiros tinham boas intenções, e a decisão deles foi a melhor solução no momento. Porém, não sabiam no que poderia resultar a independência das ilhas.

4 comentários:

  1. fico Ótima Gabriel...
    Ps: Curiosa pra saber mais =D

    obs: erro de digitação
    "multidão de formou em frente ao castelo"
    de pra se... rsrrsrs estava casado...

    Att. Samia

    ResponderExcluir
  2. bom gospel continue \o

    ResponderExcluir